Pular para o conteúdo principal

Integração entre o Eclipse IDE e o Tomcat

Olá pessoal, hoje iremos ver como integrar o Eclipse IDE ao Tomcat, assim ganhamos maior produtividade no desenvolvimento de sistemas Web com Java.

O Eclipse IDE

O Eclipse é uma IDE para desenvolvimento de sistemas muito utilizada, com ela podemos desenvolver sistemas com diferentes linguagens, como Java, PHP, C, C++, etc.

Para desenvolvimento Java, atualmente o Eclipse é a IDE mais utilizada no mercado, isso se deve a sua facilidade de uso, plugins e recursos que ajudam na produtividade.

O download do Eclipse, pode ser realizado através do link oficial, atualmente o Eclipse esta na versão 4.2 chamada de Juno:


A versão que iremos utilizar neste tutorial é a Eclipse for Java EE Developers, que é uma versão que além dos recursos do Eclipse Classic, possui recursos específicos para o desenvolvimento Java EE (Servlets, JPA, EJB, etc), o link para download é o abaixo:


O Tomcat

O Tomcat é um Web Conteiner desenvolvido pela Apache Foundation, atualmente é um dos Conteiners mais utilizados e possui um amplo suporte pela comunidade de desenvolvimento Java.

O download do Tomcat pode ser realizado através do link abaixo, atualmente esta na versão 7.0.37:

http://tomcat.apache.org/download-70.cgi

Deploy de Projetos Java

Para entendermos como e porque da integração entre Eclipse e Tomcat, vamos recapitular como que funciona a publicação de aplicativos Java em um Conteiner, este processo de publicação é chamado de deploy.

Existem algumas formas de realizar o processo de deploy, uma das mais conhecidas, é através da  geração do arquivo WAR (Web Archive), este arquivo agrupa toda a estrutura comum de um projeto web facilitando o processo de deploy.

Para realizar o deploy de um war existem várias formas, no Tomcat, podemos realizar por meio de upload na área de administrativa ou copiá-lo direto para o diretório webapps, mas este processo em um ambiente de desenvolvimento torna-se improdutivo, pois temos alterações contantes no projeto.

Para contornar todo este processo, podemos integrar a IDE com o Conteiner, assim ganhamos em produtividade no desenvolvimento, pois não temos que a cada alteração realizar todo o processo tradicional de deploy.

O Processo de Integração

A integração entre o Eclipse e o Tomcat é muito simples, basta seguir o wizard que a própria IDE fornece, como teste criei um pequeno projeto web com a seguinte estrutura:



Criamos também uma Servlet para acessar pelo browser interno da IDE:


Agora temos nosso projeto criado e os recursos prontos, vamos analisar como realizar a publicação do projeto no Tomcat dentro da IDE:
  1. Botão direto no projeto;
  2. Ir em Run on Server.
Após, devemos selecionar o Tomcat v7, como na tela abaixo:


Após, devemos adicionar o diretório de instalação do Tomcat, como na tela abaixo:


Agora para executar o projeto no Conteiner,  basta realizar o seguinte procedimento:
  1. Botão direto no projeto;
  2. Ir em Run on Server;
  3. Selecionar o Tomcat 7.
Será aberta uma janela com o browser interno do Eclipse, onde esta sendo realizada uma requisição a Servlet de exemplo, como mostrado na tela abaixo:



Um ponto interessante, é que toda configuração pode ser gerenciada por uma tela administrativa, onde podemos configurar Portas, Timeout, Tempo de Publicação, entre outras configurações:



A integração entre IDE e Conteiner é uma coisa muito comum, esta integração pode ser realizada com vários tipos de IDE e Conteiners diferentes.

Até a próxima.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Utilizando LocalDate, LocalDateTime e LocalTime na Prática

Tudo bem pessoal, hoje iremos avaliar e analisar operações de manipulação de Datas envolvendo a JavaTime API introduzida no Java 8.

Exemplos da java.time API
Já se passaram alguns anos desde o lançamento do Java 8 e mesmo após este período, há empresas que desconhecem o poder da java.time API, esta foi uma nova API de datas introduzida no Java 8 visando resolver problemas que tínhamos com as velhas classes Date e Calendar.

Vamos mostrar vários exemplos práticos do uso da API:
Criação de objetos No exemplo abaixo, estamos criando os objetos para manipulação de datas, perceba que temos 3 tipos, sendo LocalDate para manipular datas, LocalDateTime para manipular data/hora e LocalTime para horas:
LocalDate localDate = LocalDate.now(); LocalDateTime localDateTime = LocalDateTime.now(); LocalTime localTime = LocalTime.now();
Utilizando formatação Aqui realizamos a operação de formatação, perceba que não foi necessário utilizar a classe SimpleDateFormat, que usaríamos em conjunto com D…

Lendo e Manipulando arquivos CSV com Java

Olá hoje veremos como realizar a leitura e manipulação de arquivos CSV com Java, mostrando que as novas versões da plataforma Java deixaram algumas tarefas simples de serem realizadas.

Exemplo de Arquivo Hoje em dia é comum ao realizar integrações ou carga de dados o uso de arquivos CSV, isto porque, este arquivo possui uma estrutura de fácil entendimento e simples de manipular na maioria das plataformas de desenvolvimento.

Para realizar a leitura dos dados vamos manipular um arquivo com as seguintes colunas: namecpfagephone address:

name;cpf;age;phone;address caio;123456789;20;1145223643;AvenidaPaulista vinicius;147852369;18;1125253625;AvenidaManoel sandra;963258741;30;1174587858;RuaTeixeira regina;125478522;40;1145254536;RuaFernando fernando;785245563;42;1145253669;RuaPereira augusto;456123014;50;1125363633;AvenidaPaulinia maria;456123789;10;1125455525;AvenidaNossaSenhora
Para representar os dados em objetos Java iremos utilizar a seguinte classe:

importlombok.AllArgsConstruc…

Versionamento de Banco Dados com Flyway

Olá pessoal, hoje iremos analisar e aprender como realizar o versionamento e gerenciamento das bases de dados relacionais utilizando o framework Flyway.

Versionamento de Banco Dados Ao trabalhar com desenvolvimento de sistemas é comum realizarmos o versionamento, isso porque uma aplicação pode necessitar de correções, novas funcionalidades e evoluções, onde para garantir a compatibilidade e cuidar do seu ciclo de vida, geramos versões onde é especificado quais itens estão presentes em cada release.
Vamos imaginar seguinte cenário: Sistema ERP1.0.0: Entrega dos módulos Financeiro e RH;1.1.0: Entrega do módulo Contas a Receber. Perceba que a ideia é controlar o que cada versão possui de diferente, e para controlar essas mudanças no lado da aplicação existem várias técnicas e ferramentas, mas e para controlar as mudanças no lado do Banco de dados ? 
Para isso podemos utilizar ferramentas de versionamento que ajudam a realizar este controle, a ferramenta que iremos utilizar é o Flyway.
Con…